sexta-feira, 19 de abril de 2013

A trajetória de Salomão Habib na pesquisa da música e cultura indígena.



Salomão Habib em 1989 iniciou suas atividades de pesquisa em campo sobre Música Indígena. Participou, na categoria de pesquisador, do Projeto RENAS – Museu paraense Emílio Goeldi, apresentando trabalhos sobre idioma tupi e sonoridades indígenas (ROCINHA – MPEG- Setembro de 1989). No mesmo ano fez seu primeiro contato com a Funai e recebeu autorização para visitar a aldeias TEMBÉ situadas no Alto Rio Gurupi
Em 1995 participou da ‘SEMANA DOS POVOS INDÍGENAS” em Altamira – Pará. Compôs mais de vinte trabalhos musicais utilizando o tronco lingüístico TUPI GUARANY. Tendo sido também  premiado no Festival de Música Paraense com a Peça “GUATÁ N’DÉ N’GOTY XÊ TABA PUPÉ NDAÁ SOÔ RUÃ IXÉ” (Um dia vais passear comigo em minha aldeia; eu não sou bicho!)
     No ano 2000 deu continuidade à composição de peças baseadas em rituais indígenas, realizando nova pesquisa de campo nas etnias: WAI-WAI, WAIÃPI, APALAY, KRAHÔ, JURUNA, GAVIÃO, MUNDURUCÚ, TEMBÉ, TIKUNA, CINTA-LARGA, GUAJAJARA, ASSURINI, TXUCARRAMÃE e CAIAPÓ.
Realizou em 2002 pesquisa e elaboração de música indígena infantil e a pesquisa e elaboração da tese: “O SOM INDÍGENA E O ORIENTE” - Música Guardada. Trabalho de cunho etno-musical, com bases antropológicas que debate a conservação das primeiras manifestações musicais do homem, ocorrida em tribos do continente americano há 40.000 anos, face ao hermetismo étnico, biológico e social das comunidades indígenas as quais por esse fator conservaram a forma e utilização dos primeiros sons organizados pelo ser humano, não mais observadas em seus sítios autóctones.
 No ano de 2008 foi premiado pelo Instituto de Artes do Pará – IAP com a “Bolsa De Incentivo À Composição De Peças De Caráter Ritualístico Indígena Para Violão Solo.”. Publico o trabalho “AUIARAMANHE” – ( Para Sempre – Tupi Guarany) na Sede do IAP em setembro de 2009. Neste mesmo ano foi premiado pela Funarte com a  “Bolsa De Incentivo À Criação Artística”. Compôs então os 12 Rituais Sinfônicos Para Orquestra de Violões e peças solo para violão clássico, baseado em rituais autênticos de indígenas brasileiros.
Atualmente Salomão Habib continua engajado nas pesquisas indígenas, nos aspectos culturais e antropológicos.




quinta-feira, 18 de abril de 2013

Seresteira!


Não percam! Maiores informações em breve aqui no Blog!