segunda-feira, 25 de maio de 2009

ESTRELA DO XINGÚ


ACAJÁ ACAUÃ IBITI MEIPÉ
MONGATÚ JANDEPORÉ ASSÚ OCAR ABA YBY

A estrela do Xingú brilhou o ar
Mostrando um Kaiapó à me sorrir

Tinha os olhos de sol da primeira manhã
Não tinha medo das sombras
E tocava tambor
E tecia um colar de penas finas de arara

Me falava de sonhos, de caça e de amores na Foz do Iriri
No perau do Trombetas agouro dos sonhos na dor dos Meken
Iracema nascia do mel
Retocando a pintura do rosto
Avisava que um mal espreitava sua aldeia
Pra tomar seu corpo

ACAJÁ ACAUÃ IBITI MEIPÉ
MONGATÚ JANDEPORÉ ASSU OCAR ABA YBY

Tratores arrastavam mururés
Mercúrio dissolvido em tambaquis
Uma rasga mortalha voava e falava das dores daqui

Xavantes e Aymorés foram chamar outros Tupis
Maués e Camaiurás Igaraúnas Guaranis
Peçonha de lança, raiva de dor
Sangue Waiãpi

Nenhum comentário: